Terça-feira
12 de Dezembro de 2017 - 
ADVOCACIA NACIONAL

Controle de Processos

Newsletter

Quer receber notícias e informações periódicas? Cadastre-se!

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
Japão 1,86% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
29ºC
Min
21ºC
Chuva

Quarta-feira - Rio de ...

Máx
29ºC
Min
20ºC
Nublado com Possibil

Hoje - Volta Redonda, ...

Máx
25ºC
Min
17ºC
Nublado com Possibil

Quarta-feira - Volta R...

Máx
28ºC
Min
15ºC
Parcialmente Nublado

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,28 3,28
EURO 3,87 3,87
IENE 0,03 0,03
LIBRA ES ... 4,39 4,39

FGTS - 88% de reajuste

 
FGTS SOFRE PERDA DE MAIS DE 88% - PREJUÍZO NO BOLSO DO TRABALHADOR
 
Assim como aconteceu no passado, quando o FGTS teve perda de mais de 69% causada pelos planos econômicos Verão e Collor, o FGTS volta a ter novo expurgo, onde o prejuízo já passa de 88% em razão da aplicação da TR como índice de correção do saldo do Fundo de Garantia.
 
Como índice de correção monetária, a TR deveria garantir o poder aquisitivo dos depósitos do FGTS, que se perfaz levando em conta os índices de inflação. Contudo, desde janeiro de 1999, a TR não representa mais os índices reais  de inflação, impingindo profundas perdas aos depósitos do FGTS.
 
PORTANTO, ASSIM COMO ACONTECEU NO PASSADO ONDE MILHARES DE TRABALHADORES RECORRERAM À JUSTIÇA PARA RECUPERAR A PERDA DE 69% CAUSADA PELOS PLANOS VERÃO E COLLOR, OS TRABALHADORES QUE POSSUEM SALDO NO FGTS A PARTIR DE JANEIRO DE 1999 TAMBÉM PODEM COBRAR NA JUSTIÇA AS PERDAS DE MAIS DE 88% (OITENTA E OITO POR CENTO) CAUSADAS PELA APLICAÇÃO DA TAXA REFERENCIAL.
 
O ESCRITÓRIO VARGAS E VARGAS POSSUI ADVOGADOS COM MAIS DE 15 ANOS DE EXPERIÊNCIA EM CAUSAS REFERENTES À REVISÃO DE FUNDO DE GARANTIA, TENDO VASTA EXPERIÊNCIA NO ASSUNTO, COM GRANDE ÊXITO NA DEFESA DE MILHARES DE PROCESSOS DESTA NATUREZA.
 
 
ENQUADRAMENTO DA AÇÃO
 
Esta correção é cabível para todos os trabalhadores que têm ou tiveram conta no FGTS, ou seja, foram registrados pela CLT. A correção que se pede é desde janeiro de 1999 até os dias atuais. Aqueles que já sacaram o valor em algum período depois de janeiro de 1999 também terão direito, mas a um percentual menor, variável conforme o tempo.
 
Aqueles que têm parentes falecidos que tinham conta do FGTS também podem pedir a correção. Viúvas, viúvos, filhos e filhas de falecidos estão dentro deste rol de pessoas.
 
 
ATENÇÃO: O STF REDUZIU O PRAZO PARA O TRABALHADOR COBRAR A CORREÇÃO
 
 A prescrição do FGTS até então era trintenária, portanto, nenhum óbice aos que já ingressaram com a ação para pedidos de correção de 1999 para frente, pois decorridos apenas 14 anos. MAS ATENÇÃO: RECENTEMENTE O STF REDUZIU O PRAZO PRESCRICIONAL PARA APENAS CINCO ANOS. LOGO, AQUELES TRABALHADORES QUE AINDA NÃO ENTRARAM COM PROCESSO JUDICIAL É BOM SE APRESSAREM, POIS O PRAZO PARA MOVER A AÇÃO ESTÁ SE ESGOTANDO.
 
 DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA MOVER A AÇÃO
 
- Cópia da Cédula de Identidade – RG;
- Cópia do PIS ou PASEP;
- Comprovante de residência;
- Carteira de Trabalho (foto e verso, página do contrato e opção)
- Extrato do FGTS (se tiver);
- rescisão ou carta aposentadoria (se tiver).
Visitas no site:  139616
© 2017 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia